O que é hipertensão? Descubra os 10 fatores responsáveis pelo seu desenvolvimento (o #4 é o pior)

o que é hipertensãoVocê já passou por isso?

Você foi ao médico e ele disse: “Você tem hipertensão.”

E você perguntou: “Mas doutor… Hipertensão?! O que é isso?”

E ele respondeu: “É pressão alta.”

E só.

Desde que comecei a trabalhar com pessoas hipertensas, escuto exatamente isso delas. E quando chegam a mim, estão cheias de dúvidas.

Sabem que é algo ruim, ficam preocupadas, mas não tem muita ideia das consequências que podem surgir quando não tratam com a devida importância.

Afinal, a hipertensão não mata assim, de um dia para o outro…

Logo, aqui você aprenderá realmente o que é hipertensão e o que pode ser feito para ter um melhor controle dela.

Continue lendo esse artigo para saber mais sobre:

 

Pressão arterial: o que é?


pressão arterial

Para entender melhor o que é hipertensão (ou hipertensão arterial sistêmica, ou pressão alta), precisamos saber o que é pressão arterial.

Para começar, pressão é a mesma coisa que você sente quando prende com o dedo a ponta de uma mangueira de água aberta e tenta segurar essa água. Sentirá pressão tanto quanto prender o seu dedo.

É a mesma coisa no nosso corpo. Toda vez que alguma coisa segura o sangue a pressão vai aumentar. E isso ocorre nas nossas artérias. Artérias são as mangueiras dentro do nosso corpo que levam o sangue para o corpo todo.

A artéria leva o sangue rico em oxigênio e as veias trazem o sangue com gás carbônico para ser abastecido novamente de oxigênio nos pulmões. Olhe para as suas mãos. Você verá as veias, mas se apertar o pulso sentirá uma artéria pulsando.

Logo, podemos dizer que a pressão arterial é a consequência da força que o sangue faz contra a superfície das paredes internas das artérias para circular pelo corpo a cada batimento cardíaco.

Quando as artérias e veias apresentam uma rigidez acima do normal, o coração precisa fazer mais força para empurrar o sangue, aumentando a pressão para circular por elas.

Durante o batimento cardíaco existem dois momentos: a sístole (contração do coração) e a diástole (relaxamento do coração).

No momento em que o coração bate, empurrando o sangue para o restante do corpo, gera uma pressão – pressão arterial sistólica. Se ela estiver acima de 140 mmHg (milímetros de mercúrio) pode ser caracterizada uma hipertensão.

No final do batimento cardíaco, quando o coração relaxa e começa a se encher de sangue, se a pressão – pressão arterial diastólica – estiver igual ou acima de 90 mmHg, também pode ser considerada uma hipertensão.

A hipertensão arterial é uma doença silenciosa e só provoca sintomas em fases muito avançadas ou quando a pressão aumenta de forma abrupta (de forma violenta ou de uma hora para outra) e exagerada.

Então, podemos dizer que quando a pressão arterial está elevada temos uma hipertensão arterial.

pressão arterial elevada

10 Fatores responsáveis pela elevação da pressão arterial


fatores responsáveis para hipertensãoA rigidez nas veias e artérias, responsável pela elevação da pressão arterial, pode ser causada por fatores que classifico em dois tipos:

  • Fatores que dependem de você
  • Fatores que não tem como fugir

Só com essa classificação você já consegue imaginar o tamanho da sua responsabilidade no desenvolvimento e agravamento da doença.

É possível pensar que uma pessoa hipertensa é uma pessoa doente. Porém, isso pode ser visto de outra forma. É possível, mesmo com a condição de hipertensão, ser uma pessoa saudável.

Mas é preciso sempre estar atento.

Caso, você que chegou até aqui ainda não tenha sido diagnosticado com hipertensão arterial, ou que esteja em período de controle e observação de uma pressão elevada, os fatores a seguir servem de alerta para que você adie ao máximo a condição de hipertensão.

E você, já hipertenso (a), lembre-se que o cuidado deve ser diário.

Então, vamos ao primeiro tipo:

⇒ Fatores que dependem de você:

obesidade e colesterol1. Sedentarismo (falta de exercício físico)

Muitos falam de um estilo de vida ativo, mas muitos ainda praticam um estilo de vida sedentário.

Com longas horas em frente ao computador ou à televisão, horas perdidas parado (a) no trânsito, o tempo passa e não se percebe o mal que essa rotina pode causar.

A falta de exercício físico ainda é um grave problema, mas que pode ser facilmente resolvido.

  • Dica #1: comece trocando o elevador pela escada.
  • Dica #2: a cada 50 minutos sentado (a), levante-se e movimente-se por 10 minutos.

O exercício físico reduz a ocorrência de hipertensão arterial, mesmo em indivíduos considerados pré-hipertensos.

Então, para começar, dedique entre 20 e 30 minutos todos os dias para fazer um exercício. Para isso, procure um professor de educação física e acompanhe o Hipertenso em Movimento. 🙂

2. Obesidade

A obesidade (ou mesmo o sobrepeso) pode ser considerada uma das consequências do estilo de vida sedentário. Mata mais pessoas no mundo do que o baixo peso.

De acordo com os dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL, 2014), 52,5% dos brasileiros estão acima do peso.

O excesso de peso (sobrepeso e obesidade) envolve também uma alimentação inadequada, em excesso de elementos nocivos à boa saúde.

  • Dica #1: diminua a quantidade de açúcar do seu cafezinho.
  • Dica #2: consuma sucos naturais da fruta, e não da caixa.

Mesmo entre pessoas fisicamente ativas, o aumento aproximado de 6 kg do seu peso normal (em relação à sua altura – ou de 2,4 kg/m² no índice de massa corporal [IMC]) acarreta maior risco de desenvolver hipertensão.

3. Níveis elevados de colesterol

Geralmente, os níveis de colesterol podem ser avaliados de três formas: colesterol total, HDL colesterol e LDL colesterol.

Quando no seu exame de sangue mostrar apenas o colesterol total, ele deve estar com o valor abaixo de 200 mg/dL (miligramas por decilitro).

Se o seu exame de sangue estiver mais completo, será possível observar os valores do HDL colesterol e LDL colesterol.

O valor do LDL (lipoproteínas de baixa densidade), conhecido popularmente (e de forma errada) como colesterol ruim, deve estar igual ou abaixo de 100 mg/dL.

Se os seus valores estiverem acima do recomendado para ter uma boa saúde, é hora de olhar com carinho para sua alimentação.

  • Dica #1: aumente o consumo de peixes.
  • Dica #2: diminua o consumo de carboidratos.

4. Tabagismo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é uma das maiores ameaças à saúde pública que o mundo tem enfrentado.

Ele mata cerca de 6 milhões de pessoas por ano, dos quais mais de 5 milhões são consumidores diretos e mais de 600 mil não-fumantes que são expostos ao fumo passivo.

Por isso, na minha opinião, este é o pior fator.

A nicotina é uma das substâncias que acarreta uma vasoconstricção (diminuição do calibre dos vasos) direta de veias e artérias, além do aumento de substâncias que causam elevação da pressão arterial e da frequência cardíaca. Isso tudo pode provocar um infarto!

Se você ainda fuma, provavelmente já ouviu do seu médico que é preciso parar de fumar. Não é mesmo?

Mas, do fundo do seu coração… Quantas vezes você desejou e se esforçou para parar de fumar?

Pergunto isso, pois já fiz parte de um grupo multiprofissional que atendia pessoas que buscavam parar de fumar sem o uso de medicamentos.

  • Dica: procure na unidade de saúde mais próxima se existe algum programa de controle e tratamento do tabagismo.

5. Consumo de álcool

A ingestão de álcool por períodos prolongados de tempo pode aumentar a pressão arterial e a mortalidade cardiovascular em geral.

Mas existem algumas evidências entre uma pequena ingestão de álcool e a redução da pressão. Porém este assunto ainda necessita de mais comprovações.

Em indivíduos hipertensos, a ingestão de álcool, dependendo da dose, reduz a pressão arterial, porém ocorre a elevação algumas horas após o seu consumo.

Então, para aqueles que têm o hábito de beber, a recomendação aqui é simples: reduza a ingestão de bebidas alcoólicas. A orientação é que o consumo não ultrapasse 30 gramas de etanol ao dia para homens, e 15 gramas para as mulheres.

  • Exemplo: se você bebe cerveja, recomenda-se a ingestão de aproximadamente 2 latas (350 x 2 = 700 ml) ou 1 garrafa (650 ml).

6. Excesso de sódio na alimentação

Você já parou para pensar na quantidade de sal e nos temperos industrializados que você e sua família consomem?

O sal (comum/de cozinha) é um mineral formado principalmente por cloreto de sódio (sódio), e é um dos principais responsáveis pelo aumento da pressão arterial.

Quando em quantidades excessivas no organismo, o sódio retém líquido, aumentando o volume sanguíneo, e como consequência, o aumento da pressão.

Por isso, se torna extremamente importante a redução do sal na alimentação, assim como a redução dos temperos industrializados.

A recomendação é ingerir no máximo 5 gramas de sal por dia. Ou seja, no máximo 3 colheres de café rasas de sal (3 gramas + 2 gramas de sal dos próprios alimentos).

  • Dica #1: elimine os temperos prontos que são vendidos em caixinhas e saquinhos.
  • Dica #2: use temperos naturais, como cebola, alho e salsa.

7. Diabetes

Se você tem diabetes (seja do tipo 1 ou do tipo 2), sabe que todo cuidado é pouco. A alimentação precisa ser bem equilibrada nas quantidades e qualidades de carboidratos e gorduras ingeridas durante as refeições.

Além disso, o uso do medicamento deve ser seguido à risca, pois o risco de agravar a hipertensão é maior.

Então, se você não se encontra nessa condição, vale ficar atento na quantidade de açúcar ingerido ao dia.

A glicemia normal em jejum (valores da glicose avaliado a partir do exame de sangue) deve estar abaixo de 100 mg/dL para pessoas que não tem diabetes.

Você pode conhecer mais sobre a relação entre Diabetes e Hipertensão neste artigo aqui.

8. Sono inadequado

Não sei se acontece com você, mas quando tenho uma noite mal dormida, o meu dia fica menos produtivo, fico irritada com facilidade, e isso gera um estresse que não faz bem à minha saúde.

Algumas pessoas tem o efeito contrário: ficam sonolentas durante o dia.

Você já deve ter ouvido falar dos benefícios de dormir bem, e um deles é o melhor controle da pressão arterial.

Porém, existem aquelas pessoas que mesmo tendo a sensação de dormirem bem, apresentam a apneia obstrutiva do sono, que é caracterizada por uma sequência de roncos seguida de um período de silêncio.

Nessa interrupção a pessoa fica sem respirar. Com isso, o organismo libera adrenalina (hormônio com efeitos estimulantes), que contrai os vasos sanguíneos, dificultando sua passagem, e, como consequência, aumentando a pressão.

Para esses casos é necessário um tratamento especializado.

Mas você já pode começar a melhorar seu sono com duas práticas simples:

  1. Faça uma meditação (ou um momento de relaxamento) no final do dia » isso ajudará você a “retirar” pensamentos da mente (principalmente os negativos) e se acalmar.
  2. Evite o contato com luz branca antes de dormir » não leve seu celular ou tablet para cama.

 

Talvez agora você esteja pensando: “Nossa…! Quantas coisas eu preciso fazer para não ter hipertensão!”

Não desanime! Lembre-se do antigo ditado:

É melhor prevenir, que remediar.

E esse ditado vale também para o hipertenso. Continue remediando. Afinal, uma pressão bem controlada é sinal de que o tratamento está ok!

⇒ Fatores que não tem como fugir:

idade e doença hereditária

9. Idade

O processo de envelhecimento é inevitável para todos nós. Sendo assim, todos têm um maior risco de desenvolver uma pressão arterial elevada à medida que envelhecem.

Porém, a prevalência da hipertensão é maior em pessoas com mais de 60 anos de idade. Mas ela pode ser desenvolvida em qualquer idade, incluindo infância e adolescência, desde que os fatores que citamos acima sejam ignorados.

10. Doença hereditária

A hipertensão é uma doença hereditária, ou seja, filhos de pais hipertensos têm maiores chances de desenvolvê-la. Porém, com hábitos saudáveis de vida é possível que a doença não se desenvolva, ou que se inicie em uma idade mais avançada.

Vale um alerta! Aqueles que apresentam um estilo de vida pouco saudável podem desenvolver a hipertensão arterial mesmo que na família não haja casos da doença.

 

Você conseguiu perceber que alguns fatores dependem de hábitos que criamos ao longo da vida e outros não temos como fugir?

Então, neste momento já é possível saber onde você está errando e em qual fator é possível melhorar.

Atenção aos valores!


atenção aos valoresVocê já aferiu sua pressão hoje?

Talvez seja interessante saber como ela está.

Afinal, falamos no início do artigo que a hipertensão arterial é uma doença silenciosa e só provoca sintomas em fases muito avançadas ou quando a pressão aumenta de forma abrupta e exagerada.

Então, se você ainda não foi diagnosticado com hipertensão, procure um posto de saúde mais próximo a sua casa ou uma farmácia para aferir sua pressão pelo menos uma vez ao mês.

Se você já possui hipertensão, deve aferi-la pelo menos uma vez por semana, ou se estiver sentindo algum mal-estar.

As VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão classificam a pressão arterial de acordo com os seguintes valores. Veja:

Tabela retirada da VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão

Retângulo verde: valores normais que devem ficar abaixo de 130/85 mmHg (ou como é mais comum ouvir: 13 por 8).

Retângulo laranja: valores no limite. Sua pressão deve ficar entre 130/85 mmHg e 139/89 mmHg. Caso você não seja hipertenso, fique atento aos fatores!

Retângulo vermelho: existem 3 estágios para a hipertensão, e uma hipertensão sistólica isolada.

Quando a pressão arterial atinge níveis mais altos (entre 140/90 mmHg e 180/110 mmHg – ou mais), a hipertensão é classificada do estágio 1 (mais leve) ao estágio 3 (mais grave).

Já a hipertensão sistólica isolada acontece quando somente a pressão sistólica (aquela em que acontece quando o coração se contrai empurrando o sangue para o restante do corpo) se comporta fora da normalidade.

Seja qual for o estágio da sua hipertensão, a meta a ser atingida é de 140/90 mmHg ou mais baixa.

Mas isso vai depender de pessoa para pessoa, da forma como o seu médico conduz o tratamento e da sua postura diante sua hipertensão.

Fique atento aos horários da medicação, e se tiver qualquer alteração exagerada nos valores procure um médico.

Sinais de alerta


dor de cabeçaA hipertensão, mesmo sendo considerada uma doença silenciosa, em alguns casos, é possível causar sintomas em pessoas mais sensíveis às mudanças repentinas na pressão.

Abaixo estão alguns sinais de uma pressão arterial elevada, ou hipertensão para quem já foi diagnosticado com ela:

  • Tonturas e fraquezas
  • Dores de cabeça
  • Dor no peito que irradia pelo braço esquerdo
  • Visão embaçada
  • Sangramento nasal

Se você já sentiu algum deles, deve ficar atento e investigar a causa.

Importante! » Não tome medicamentos por conta própria!

Principais danos causados


coração do hipertensoA hipertensão arterial é uma doença que causa deficiência no funcionamento de vários órgãos.

Por isso, é preciso que você tenha um controle rigoroso com sua medicação, respeitando os horários e as dosagens prescritas pelo seu médico.

Além disso, a mudança para um estilo de vida mais saudável e ativo deve ser tratado como remédio.

Afinal, como vimos anteriormente, uns dos fatores para o agravo da hipertensão é o sedentarismo.

Caso não haja cuidado e o controle não seja feito, seus órgãos podem sofrer danos irreversíveis. Veja:

  • No cérebro: pode ocorrer acidente vascular cerebral (AVC, ou derrame), e levar a demência.
  • Nos olhos: a obstrução dos vasos que irrigam os olhos danifica a retina, e em casos mais extremos, causa cegueira.
  • No coração: como o coração precisa trabalhar mais devido à alta pressão, ele aumenta de tamanho, dificultando a distribuição de oxigênio e nutrientes para ele. Isso pode levar a insuficiência cardíaca e infarto.
  • Nos rins: se os vasos sanguíneos nos rins forem danificados pela pressão elevada, o fluxo de sangue diminui, causando uma redução no seu tamanho e funcionamento, e em caso mais extremos, insuficiência renal.
  • Nas artérias: veias e artérias sofrem lesões devido à alta pressão que o sangue faz para passar. Essas lesões deixam os vasos endurecidos e estreitos, podendo entupir ou romper, causando angina (dor no peito) e até infarto.

Conclusão


Espero que você tenha gostado do artigo e que ele possa orientá-lo no seu dia-a-dia. Como pôde ver o cuidado diário com a pressão é fundamental.

Existem fatores que levam à hipertensão e agravam o quadro hipertensivo que podem sim ser combatidos.

Não adianta o conhecimento “entrar por um ouvido e sair pelo outro”, pois se não houver mudança em alguns hábitos de vida, sua saúde não vai melhorar.

Se não mudar o que faço hoje, todos os amanhãs serão iguais a ontem. ~ Millôr Fernandes

E se você está aqui, é porque você quer fazer um amanhã melhor.

E mais…

Você pode ajudar a melhorar o amanhã de outras pessoas compartilhando esse artigo. E se ainda restou alguma dúvida, deixe um comentário logo abaixo.

Fique atualizado!

Insira o seu e-mail abaixo para receber gratuitamente as atualizações do Hipertenso em Movimento!

Referências
  • Beatriz

    Parabéns pelo artigo! Muito interessante!

    • Que bom que gostou! Obrigada!

      A ideia é chamar a atenção das pessoas, principalmente, para os fatores que dependem delas.

      Bj

  • Joao Coelho Tavares

    Agradeço as informações compartilhadas. Todas muito úteis. Coincidência ou não, a todo momento eu me deparo com a sua dica #8. Preciso dormir melhor. Um Abraço!

    • Oi, João!

      Obrigada pelo feedback.

      Noites mal dormidas “sugam” nossas energias no dia seguinte. Isso aumenta o estresse e gera uma série de coisas nada legais para o nosso organismo.

      O que tem feito para melhorar suas noites de sono?

      Abraço!

      • Joao Coelho Tavares

        Eu costumo dormir muito bem. O problema está no horário de dormir. Estou me “forçando” a dormir mais cedo.

        • Ah, verdade… Eu também tenho esse problema.
          Tenho me “forçado” a desligar o computador no máximo às 21h…
          Boa sorte!

  • Ótimo artigo, Kamilla!

    Adorei a analogia da mangueira, ficou realmente muito simples de entender o que é pressão arterial.

    E o melhor é saber que a maioria dos fatores que contribuem para hipertensão estão relacionados às nossas escolhas. Ou seja, não estamos a mercê da sorte, do destino ou apenas da genética.

    Parabéns pelo blog e muito sucesso. Espero que ajude muitas pessoas.

    Beijos!

    • Oi, Carla!

      Muito obrigada pelo comentário.

      Como muitos dizem “a vida é feita de escolhas”, e realmente é. Mas, infelizmente, muitos ainda culpam a genética e o destino.

      Espero sinceramente que as pessoas se conscientizem de suas escolhas agora, para que não fiquem se lamentando no futuro.

      Beijos! E obrigada pela força 🙂

  • Anselmo Perez

    Oi Kamilla,
    É bom saber que conceitos importantes estão sendo passados de forma correta para as pessoas saberem.
    Além disso, as dicas são fundamentais e preciosas. Acontece que quem sabe muitas vezes precisa de algum profissional como você para ficar cobrando, e quem não sabe precisa dessas lições mesmo.
    Tenho certeza de que seu blog cumprirá esse papel.
    Parabéns!

    • Muito obrigada!
      Muitas pessoas até conhecem esses fatores e tem noção de como evitar algumas coisas, mas nosso papel é “pegar no pé” mesmo! 🙂
      Beijos!

  • Ju

    Muuuuuuito bom, Kamilla!!! Como sempre seu texto é claro, didático e rico! Está me ajudando muito!!! Abraço, amiga!

    • Muito obrigada pelas palavras, Ju!
      Fico feliz em saber que tenho te ajudo.
      Fique à vontade para compartilha-los!
      Bjs